10 tendências da tecnologia para 2023

Em 2023, as tendências tecnológicas para a área de saúde vão dominar o mercado. Empresas que não querem ficar para trás precisarão correr atrás do prejuízo para se adaptar e fornecer soluções cada vez mais tecnológicas para seus clientes e pacientes.

Neste artigo, apresentaremos algumas das principais tendências de tecnologia na área da saúde para 2023. Se você é da área de saúde, prepare-se para conhecer em primeira mão os assuntos que vão dominar as reuniões de tecnologia da informação neste ano.

10 Tendências da tecnologia na saúde para 2023

Alguns dos assuntos que serão tendência em tecnologia na saúde em 2023 já estiveram presentes nas listas de outros anos. Nesses casos, 2023 representará uma oportunidade de entrar ainda mais profundamente e estabelecer-se no mercado.

Outros itens, no entanto, aparecerão pela primeira vez, mas já vêm com toda a força. Isso significa que não é possível ignorá-los e já é recomendável adaptar o que precisa ser adaptado para conseguir executar essas novas tecnologias.

Confira, a seguir, 10 tendências da tecnologia na saúde para 2023:

Telemedicina e tratamentos remotos

O primeiro grande destaque fica por conta da telemedicina. Essa modalidade de atendimento começou a ganhar espaço durante a pandemia da COVID-19. Atualmente, diversos planos de saúde já assumiram esse tipo de atendimento e reservam significativo contingente de médicos para telemedicina.

Em 2023, o que já era uma tendência deve se afirmar ainda mais. Por isso, é fundamental investir em tecnologias que consigam promover um atendimento à distância que não sobrecarregue a rede do médico e nem a rede do usuário.

<<< Leia também: Gestão de riscos na saúde: saiba como diminuir os riscos com a tecnologia >>>

Telediagnóstico

Seguindo a tendência da telemedicina, o telediagnóstico também já aparece com força.

Mas, afinal, o que é o telediagnóstico? Trata-se da utilização da tecnologia para emissão de laudos e diagnósticos à distância. A avaliação é feita por um profissional qualificado, geralmente o médico, que se baseia em imagens e gráficos captados por câmeras de celular e webcams, sempre com o envio via internet.

O principal ganho para instituições de saúde é a redução de custos, enquanto existem barreiras tecnológicas e informacionais que precisam ser vencidas, como os problemas de conexão, a baixa qualidade de algumas câmeras e a ineficiência de alguns pacientes — sobretudo os mais velhos — para tirar fotos e fazer vídeos.

Inteligência Artificial

A inteligência artificial (I.A.) também entra em cena para aumentar ainda mais a eficiência das instituições de saúde em 2023. Por meio da I.A., a máquina consegue aprender certos padrões, de modo a identificar incongruências como faltas ou excessos.

Para conseguir isso, as máquinas são treinadas com um grande volume de dados. Quando isso é somado ao poder de um algoritmo, a I.A. consegue analisar, por exemplo, um exame de sangue, apontando quais são as deficiências de uma pessoa.

Dessa forma, o processo de diagnóstico é acelerado, gerando economia e maior velocidade na promoção do tratamento.

Robótica

E se a Era dos Robôs antes parecia ficção, está cada vez mais se tornando realidade. Isso porque os robôs estão participando de forma crescente de operações médicas, coletas de exames e até cirurgias.

Existem aqueles robôs que atuam por inteligência artificial. Estes ainda são raros, mas devem aparecer com força nos próximos anos. Mas há, também, os robôs operados por um médico real.

Através da tecnologia robótica, o médico consegue ter a visão ampliada e uma precisão maior nos movimentos

Internet das coisas (IoT e IoE)

A Internet das Coisas é aplicada a objetos que, quando conectados à internet, coletam dados em tempo real ou são controlados através da rede. É o caso daquelas casas inteligentes em que luzes e cortinas abrem, fecham, ligam e desligam com um toque no celular ou um comando de voz.

Na área da saúde, essa tecnologia pode ajudar no diagnóstico de doenças, no acompanhamento do estado de saúde e no monitoramento da saúde de pacientes.

No caso de atendimentos particulares, o paciente pode ter em seu corpo um dispositivo que mede os níveis de oxigênio, pressão e batimentos cardíacos e, em caso de irregularidades, o sistema aciona automaticamente o médico responsável.

Realidade aumentada

A Realidade Aumentada é uma tecnologia que permite ao usuário visualizar objetos visuais no ambiente físico. Desse modo, é possível transportar-se para outro lugar sem se mexer um centímetro.

No caso da área da saúde, a realidade aumentada pode ajudar, por exemplo, um médico a observar com maior amplitude os sistemas interiores de uma pessoa. Isso poderia ajudar tranquilamente no diagnóstico de doenças.

Realidade virtual

A Realidade Virtual é uma tecnologia que permite ao usuário imergir em um outro mundo. Por isso, esse recurso já é utilizado para o tratamento de algumas doenças, sobretudo para favorecer o controle da dor.

Entre as doenças que podem ser tratadas com o auxílio da Realidade Virtual, destacamos TOC, ansiedade, depressão e fobias. Também pode ser usada como um recurso para fisioterapia.

Medicina em 5G

A Internet 5G está chegando para ficar. Em 2023, essa tecnologia deve chegar a rincões cada vez mais profundos no Brasil. Atualmente, já está disponível nas capitais dos estados.

Para a área da saúde, a medicina em 5G tende a melhorar e intensificar ainda mais o já próximo relacionamento entre medicina e tecnologia. Isso porque, com o 5G implementado, a velocidade de troca de dados e informação se acelerará vertiginosamente.

Health Techs e Big Techs

As Health Techs são empresas de tecnologia voltadas para a saúde e o bem-estar. Em 2023, empresas do gênero devem crescer ainda mais, e as instituições de saúde devem aproveitar essa onda.

Uma forma de fazer isso é criando soluções que fazem sentido ao dia a dia da pessoa, transformando essas soluções em aplicativos e tecnologias que permitem o uso do usuário final.

Metaverso

Por fim, um super destaque da tecnologia para a área da saúde é o Metaverso, que consiste em um universo paralelo formado por interações semi-fictícias. Em resumo, o Metaverso se utiliza de tecnologias já citadas até aqui, como realidade aumentada, realidade virtual e inteligência artificial, de modo a criar uma realidade paralela onde as pessoas podem interagir entre si em um nível de realismo que assusta.

Com relação à saúde, o Metaverso pode ser utilizado para, por exemplo, a promoção de consultas médicas, terapias, treinamentos físicos, etc.

Leave feedback about this

  • Quality
  • Price
  • Service
Choose Image